Qual a causa do câncer de mama?

Não existe uma causa específica para o diagnóstico de câncer de mama, mas existem fatores de risco que devem ser levados em conta, fique atenta aos seguintes fatores:

 

Fatores comportamentais:

  • Sedentarismo;
  • Obesidade e sobrepeso, principalmente depois da menopausa;
  • Consumo de bebidas alcóolicas;
  • Exposição constante a raios X.

Fatores reprodutores e hormonais:

  • Primeira menstruação antes dos 12 anos;
  • Primeira gravidez após os 30 anos;
  • Não ter tido filho;
  • Menopausa após os 55 anos;
  • Ter feito reposição hormonal depois da menopausa principalmente por mais de 5 anos.

Fatores genéticos:

  • História familiar de câncer de ovário;
  • Histórico de câncer de mama na família, principalmente antes dos 50 anos;
  • Caso de câncer de mama em homens na família;
  • Alteração genética nos genes BRCA1 e BRCA2.
Por mais corrido que seja o seu cotidiano, sempre encontre um tempo para cuidar de si mesma!

Fonte: Sesc Brasil

As estatísticas do câncer de mama no Brasil.

Clique nas barras para conferir os dados.
95%
A probabilidade de cura do câncer de mama, caso descoberto em sua fase inicial, é de 95%;
A probabilidade de cura do câncer de mama, caso descoberto em sua fase inicial, é de 95%;
A probabilidade de cura do câncer de mama, caso descoberto em sua fase inicial, é de 95%;
28%
Hábitos saudáveis ajudam a reduzir os fatores de risco em até 28%;
Hábitos saudáveis ajudam a reduzir os fatores de risco em até 28%;
Hábitos saudáveis ajudam a reduzir os fatores de risco em até 28%;
24,5%
Foram em 2020, 2,3 milhões de casos novos mundialmente, o que representa cerca de 24,5% dos tipos de câncer diagnosticados em mulheres;
Foram em 2020, 2,3 milhões de casos novos mundialmente, o que representa cerca de 24,5% dos tipos de câncer diagnosticados em mulheres;
Foram em 2020, 2,3 milhões de casos novos mundialmente, o que representa cerca de 24,5% dos tipos de câncer diagnosticados em mulheres;
5/10%
Apenas 5 a 10% dos casos são representados por fatores genéticos, mas caso apresente mais de um, é considerado risco elevado.
Apenas 5 a 10% dos casos são representados por fatores genéticos, mas caso apresente mais de um, é considerado risco elevado.
Apenas 5 a 10% dos casos são representados por fatores genéticos, mas caso apresente mais de um, é considerado risco elevado.

Fique atenta aos sintomas:

Saída espontânea de líquido anormal pelos mamilos;
Alterações anormais na textura da pele, como pele avermelhada, retraída ou parecida com uma casca de laranja;
Buracos ou nódulos na região da mama, das axilas ou do pescoço;
Alteração no bico do peito (mamilo);
Caroço endurecido, fixo e indolor, é a principal manifestação da doença, presente em 90% dos casos.
 
Diante de qualquer sinal de manifestação da doença, procure um(a) médico(a) o mais rápido possível.

Você é importante e especial, cuide do seu corpo! Confira o vídeo que separamos para você:

Fonte: Sesc Brasil

"Esteja atento ao seu corpo, à sua saúde e fatores de risco. Faça seus exames com regularidade. A prevenção salva vidas todos os dias e pode salvar a sua e a de quem você ama também. O diagnóstico precoce salvou minha vida e quero que salve também a vida de mais e mais pessoas.”

 Ana Furtado

A apresentadora se curou de um câncer de mama em 2019.

Desenho de mulher segurando o símbolo do Outubro Rosa

Faça o autoexame sempre que possível!

A orientação do INCA é que ele seja feito sempre que a mulher se sentir confortável, esta é apenas uma forma de conhecer bem o próprio corpo e identificar logo no começo qualquer possível sintoma. Se perceber alguma alteração anormal, mantenha a calma e procure ajuda médica, pois algumas alterações podem estar relacionadas com mudanças habituais das mamas em diferentes ciclos da vida.

Importante lembrar que o autoexame não exclui a necessidade do exame clínico! Mesmo não identificando qualquer alteração, é importante realizar o exame com um profissional da saúde, ao menos uma vez por ano.

Como identificar o câncer?

Pode ser identificado através do autoexame ou então através da mamografia e exames clínicos de mamas, mas a confirmação do câncer é feita através de biopsia (exame histopatológico).

Quando devo fazer mamografia?

É recomendado que mulheres de 50 a 69 anos façam uma mamografia a cada 2 anos ou em qualquer idade se houver indicação médica.

Como se prevenir:

Vimos anteriormente que os fatores de risco do câncer de mama podem ser reduzidos em até 28% caso sejam adotados hábitos saudáveis em sua rotina, confira quais são esses hábitos:

  • Praticar exercícios físicos;
  • Alimentar-se de forma saudável; 
  • Evitar excesso de peso;
  • Evitar consumo de bebidas alcoólicas;
  • Amamentar;
  • Usar hormônios sintéticos apenas com prescrição médica.

Vimos anteriormente que os fatores de risco do câncer de mama podem ser reduzidos em até 28% caso sejam adotados hábitos saudáveis em sua rotina, confira quais são esses hábitos:

  • Praticar exercícios físicos;
  • Alimentar-se de forma saudável; 
  • Excesso de peso;
  • Evitar consumo de bebidas alcoolicas;
  • Amamentar;
  • Usar hormônios sintéticos apenas com prescrição médica.

Se cuide e cuide de quem você ama!

A palavra-chave do Outubro Rosa é PREVENÇÃO! É ela que pode salvar a vida das mulheres da sua vida, por isso compartilhe essas informações com as pessoas mais próximas à você e ajude-as a se prevenirem contra essa doença.